Archive by Author

GCN encerra primeira série de oficinas ‘O jornal na sala de aula’

23 nov

Por Nelise Luques

No encerramento da série de oficinas “O jornal na sala de aula”, realizada pelo Grupo Corrêa Neves de Comunicação pela primeira vez, os professores puderam realizar um desejo alimentado durante os encontros promovidos desde agosto deste ano. Para fechar com chave de ouro o projeto, os participantes puderam finalmente ver a impressora do parque gráfico do GCN em funcionamento. Na tarde de ontem, assistiram à impressão da edição do Caderno Nossas Letras, que circulará no próximo sábado.

Acompanhadas da jornalista Sônia Machiavelli, editora do caderno, as professoras ouviram entusiasmadas as explicações sobre o processo de impressão do jornal feitas por Robson Vieira, supervisor do parque gráfico, e Marlus Dany, responsável pelo controle de qualidade. Os funcionários explicaram que as páginas são gravadas direto do computador numa chapa de metal antes de serem colocadas na impressora. Quando as páginas são coloridas, é preciso gravar quatro chapas para as cores primárias – magenta (vermelho), ciano (azul), amarelo e preto – que, combinadas, resultam nas cores impressas nas páginas. Depois, os convidados conferiram a próxima edição dos Nossas Letras em primeira mão e levaram um exemplar para casa. No final da visita ao parque gráfico, todas aplaudiram o encerramento do projeto.

Daniele Justino, 25, professora do 4º ano da Escola Municipal “Hélio Paulino Pinto”, foi uma das mais impressionadas. “Adorei a máquina. Não existe algo igual. Foi uma grande surpresa. Todos estão de parabéns. Vendo a máquina funcionar entendi melhor porque da paixão de todos vocês com esse trabalho”, disse.

Desde 12 de agosto, o GCN realizou oito encontros quinzenais no Auditório “Jornalista Corrêa Neves”, todos coordenados pela professora de Língua Portuguesa, Maria Ângela Chiachiri (leia mais nesta página). Para encerrar o projeto piloto da série de oficinas “O jornal na sala de aula”, o tema abordado foi poesias. Maria Ângela aproveitou a proximidade do aniversário de Franca, dia 28 de novembro, e escolheu três poemas sobre a cidade. Dois deles foram publicados pelo Comércio, no Clubinho, dia 7 de outubro. São eles: “Vivo onde pousam, pousam onde vivo”, escrito pela aluna Denise Alves Rodrigues, 10, da Escola Municipal “José Mário Faleiros”, e o outro, “Minha Bela e Linda Franca”, de Lidiane Gabriel Ferreira, da Escola Municipal “Professor Hélio Paulino Pinto”. O terceiro poema foi escrito pelo historiador José Chiachiri Filho e se chama “Minha Franca, Minha Amada”.

No encontro, foram discutidas curiosidades da história de Franca e sugeridas atividades para serem trabalhadas sobre os textos em sala de aula. Essa é a intenção da professora Francislene Dourado, 28, da Escola Municipal “Valéria Tereza Penna”, no Leporace III. “Os poemas são relacionados a Franca e culminaram com o projeto que estou desenvolvendo sobre a nossa cidade. Vou aplicar as atividades com os alunos”, disse ela.

Após a aula, os professores receberam o certificado do GCN. As jornalistas Sônia Machiavelli e Joelma Ospedal, editora-chefe, fizeram as entregas ao lado de Luiz Neto, gestor de relações corporativas do GCN e editor de Opinião do Comércio. Maria Ângela Chiachiri, Andréia Xavier e Lívia Inácio, da organização das oficinas, também receberam certificação. Maria Aparecida Dias, professora da “Naneide de Lourdes Oliveira Scarabucci” avaliou como extremamente positivo o projeto do jornal com os professores. “Sempre trabalhei com jornal, mas essa oficina do GCN me ajudou demais. Havia pontos que não focava tanto e a partir desses encontros consegui orientar os alunos com mais clareza e facilidade”.

Anúncios

Inscrições para concurso Minuto na Escola terminam hoje

16 nov

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo e o Festival do Minuto encerram hoje as inscrições para o concurso Minuto na Escola. O objetivo do concurso é estimular o trabalho audiovisual nas escolas estaduais e é voltado para alunos do ciclo II do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de toda a rede estadual. Os participantes devem produzir vídeos com duração de até 60 segundos usando celular, câmera digital, entre outros. Os estudantes do Ensino Fundamental devem enviar os vídeos pelo site www.minuteen.com.br  e os do Ensino Médio pelo www.festivaldominuto.com.br . Os três melhores trabalhos serão premiados com um laptop. O tema é livre. Mais informações podem ser obtidas pelos sites de inscrição.

Patrícia Paim: Comércio da Franca

GCN realiza 5ª oficina para os educadores

8 out

Foto: Tiago Brandão/Comércio da Franca

APRENDIZADO – Maria Chiachiri, coordenadora das oficinas, mostra o jornal para as professoras. Veículo está sendo usado como instrumento pedagógico nas escolas

O GCN Comunicação realizou, na tarde de ontem, a quinta oficina “Jornal na Sala de Aula”, destinada a professores das redes municipal e estadual de ensino. O evento faz parte do projeto Jornal na Escola, desenvolvido pelo GCN. Ao todo, 20 educadores participaram da oficina no Auditório “Jornalista Corrêa Neves”. O evento contou também com a participação da designer chefe do Comércio da Franca, Júlia Nightingale, e do repórter e colunista de política, Edson Arantes.

Os dois profissionais discorreram sobre suas funções e sobre o papel que desempenharam na cobertura política do GCN Comunicação em 2010. Edson explicou como foi o processo de apuração de votos realizado pelo GCN e como foi o seu trabalho no período eleitoral. Já Júlia focou na sua função na redação. “Meu trabalho é fazer com que as pessoas gostem de ler jornal, tenho que deixá-lo mais atrativo. Muitas vezes, as pessoas olham primeiro a foto ou o gráfico para depois lerem a matéria”.

O projeto Jornal na Escola tem contribuído para ampliar a discussão sobre política nas escolas. Michele Rodrigues, professora da Escola Municipal “Domenico Pugliesi”, conta que o jornal está sendo utilizado como instrumento pedagógico. “Os alunos comentam sobre os gráficos e quadros de candidatos. Houve uma ampliação do debate político em sala de aula”.

Professora faz balanço positivo do projeto ‘O jornal na sala de aula’

30 set

O projeto “O jornal na sala de aula”, que oferece oficinas para professores sobre o uso do jornal nas escolas, era uma ideia antiga do Comércio da Franca. O trabalho foi formatado em março deste ano durante o lançamento do projeto Jornal Escola 2010 quando as professoras Cecília Pavani e Ângela Junquer estiveram na sede do GCN Comunicação para contar experiências com o uso do jornal Correio Popular, de Campinas, nas unidades de escolares. A primeira oficina do GCN aconteceu no dia 12 de agosto sobre o tema “Como é produzido o jornal?”.

A primeira turma é formada por professores das escolas participantes do Jornal Escola que recebem exemplares do Comércio todos os dias gratuitamente. O projeto terá oito oficinas, realizadas a cada 15 dias,na sede do GCN.

As atividades são coordenadas pela professora Maria Ângela Chiachiri, que faz um balanço positivo do projeto. “Os encontros têm sido cada vez mais ricos. Uma das coisas mais importantes que estamos observando é a mobilização do posicionamento crítico das crianças, a partir das opiniões que elas estão enviando através de cartas”.

Dentre os temas que serão abordados estão: “O factual – notícia, reportagem, entrevista, opinião”, “O gênero literário no jornal: crônica, conto, poesia, resenha”. A próxima oficina será dia 7 de outubro.

Oficina educativa do GCN estimula debate sobre eleições nas escolas

24 set

Fotos: Tiago Brandão/Comércio da Franca

A professora Maria Ângela de Freitas Chiachiri explica para outros professores maneiras de utilizar tabelas e gráficos na sala de aula durante oficina realizada no auditório do GCN Comunicação ontem

Repórter: Nelise Luques

A dez dias das eleições, a oficina realizada ontem pelo GCN Comunicação sobre “Tabelas e gráficos no contexto da educação” estimulou os professores participantes a discutir maneiras de levar o tema para a sala de aula. Após analisar os gráficos publicados em reportagem do Comércio da Franca no domingo, 20, sobre intenção de votos para deputados estadual e federal na cidade, o grupo teve ideia de realizar uma pesquisa com os alunos e seus pais sobre votação. A atividade deve ser aplicada em algumas escolas nos próximos dias.

A professora Olinda Maria Marini, que leciona na Escola Municipal “Maria Brizabella Bruxelas Zinader”, no Jardim Luiza, pretende realizar a pesquisa sobre eleições com a turma de 35 alunos do 5º ano. “O assunto em questão são as eleições, então vamos montar os gráficos, fazer pesquisa com as crianças e com os pais em casa para saber em que candidatos votariam e por quais razões”.

Durante o encontro, os participantes, sob coordenação da professora Maria Ângela Chiachiri, comentaram a candidatura de Tiririca, que concorre a deputado federal pelo PR (Partido da República), e relataram que o assunto também é discutido com as crianças nas escolas. “A partir da pesquisa podemos discutir as propostas e tipos de candidatos que concorrem nas eleições, então é uma forma de trabalharmos a parte de porcentagem e gráficos e de cidadania também”, disse Olinda.

A professora Francislene Aparecida Vilela, da Escola Municipal “Valéria Spessoto de Figueiredo Pena”, no Leporace III, foi outra que manifestou a intenção de trabalhar a produção e análise de gráficos com base nas eleições. “Já trabalhamos com tabelas sem utilizar o jornal, mas penso em fazer algo relacionado às eleições, como tabulação de dados da comunidade que vota na região da escola e candidatos que gostariam de eleger”, disse ela, que é professora do 4º ano.

ALTERNATIVA
Durante a oficina, além da análise da reportagem sobre a pesquisa de intenção de votos, os professores analisaram uma matéria sobre água. A reportagem do dia 22 de setembro, com o título”Chuva não é suficiente e racionamento continua”, não foi publicada contendo gráficos, mas a professora Maria Ângela sugeriu formas dos professores fazerem a tabulação de dados contidos no texto. Os professores aprovaram a ideia. A matéria informou que normalmente o Rio Canoas tem produção de 800 litros de água por segundo e o Pouso Alegre, 240, mas, com a estiagem, a capacidade havia reduzido para 150 litros. “Podemos montar uma tabela sobre a captação normal e durante a seca dos rios Canoas e Pouso Alegre. Podemos fazer uma pesquisa a partir das contas de água dos alunos para saber o consumo em suas casas e incentivar a redução dele. Os dados podem ser tabulados no Excel”, disse o professor Luís Fernando Pessoni, da Escola Municipal “César Augusto”.

As oficinas do GCN Comunicação para professores da rede pública fazem parte do projeto “O jornal na sala de aula”, que tem como objetivo ensinar aos participantes maneiras de usar o jornal nas escolas como ferramenta para incentivar a leitura e formar alunos mais críticos.

Encontro discute fotojornalismo como ferramenta de ensino

10 set

“Através das fotos é possível aprender a ‘ler’ o mundo”. A declaração é da professora Maria Conceição Mazzola, que há 12 anos trabalha na alfabetização de crianças na Apae. Ela e outros 25 profissionais da rede pública de ensino passaram a tarde de ontem reunidos no auditório “Jornalista Corrêa Neves” para a oficina “As imagens também falam”.

O encontro fez parte da série de oito palestras do programa “O Jornal na Sala de Aula” do GCN Comunicação e teve a participação do fotógrafo do Comércio, Tiago Brandão, ganhador do Prêmio Esso de Fotografia em 2007. Ele falou sobre as diferenças entre fotojornalismo e imagens publicitárias. “Em jornalismo não há interferência do profissional, já a foto publicitária tem de ser trabalhada para mostrar o melhor do produto a ser vendido”, explicou Brandão.

O objetivo, segundo Andreia Cristina Xavier, uma das organizadoras do projeto de oficinas para professores, é dar suporte para que os educadores possam utilizar o jornal como material pedagógico. “O Comércio é rico em diversos tipos de texto e seu conteúdo interessa a alunos de todas as idades”, disse Andreia.

O próximo tema a ser discutido pelos professores será “Tabelas e gráficos no contexto da educação” no dia 23 deste mês.

Uma aula divertida

6 maio

Crianças descobrem como é o processo de impressão

Uma aula sobre a história da imprensa, uma apresentação prática de como é a produção de um jornal impresso e a elaboração do conteúdo veiculado por uma rádio. E, claro, um divertido tour pelo prédio do GCN Comunicação. É o que o Comércio da Franca, por meio do Projeto Jornal Escola, propiciou a mais de 100 alunos na última semana. Desde quarta-feira, 28, uma turma do Colégio Aguilar e três turmas da Escola Municipal “Hélio Paulino” puderam acompanhar um pouco do que acontece nos bastidores grupo. Mariana Trovão, 9, do Colégio Aguilar, gostou de entender como funciona a Pressline 30, rotativa que imprime o jornal. A aluna visitou o Comércio acompanhada de seus colegas de classe, do 5º ano, e de sua professora Andréia Coelho Corrêa Facirolli. A educadora explicou que já tem trabalhado em sala de aula o jornalismo impresso e que a visita enriqueceu bastante o seu projeto pedagógico. “O passeio foi enriquecedor”, disse.

Geovana da Costa Lima, 9, e Ketlyn Cristina Miguel, 10, do 5º ano “C” da Escola “Hélio Paulino” gostaram muito da visita ao GCN. “Nós visitamos outros lugares também, mas aqui é diferente porque além de nos divertirmos também aprendemos muito”, disseram. A professora Juliana Cunha de Melo contou que todas as semanas lê o Clubinho para seus alunos e a curiosidade em saber como tudo é feito era muito grande por parte da turma. “Eles são muito curiosos e a visita ilustrou o que tenho explicado na escola”, disse.

Veja mais fotos, clicando aqui.